Portugal em Revista

Num dos momentos mais emocionantes do espetáculo “Portugal em Revista”, Miguel Dias homenageia uma das maiores figuras do Teatro, Televisão e Cinema do nosso país: Nicolau Breyner!
Este é sem dúvida um dos momentos que não pode perder! Faça já a sua reserva!
HORÁRIOS DO ESPETÁCULO:

De Quinta-Feira a Domingo às 21:30H

Sábado e Domingo também às 16:30H
EFETUE A SUA RESERVA OU COMPRA DE BILHETES EM:

Geral – 213 475 454

Bilheteira – 213 461 740

Email – teatromv@sapo.pt

Compra Online – https://teatromariavitoria.bol.pt/
Pode também efetuar a compra através dos Postos de Venda habituais!

SIMONE, O MUSICAL

Teatro Tivoli BBVA | Coliseu Porto | CAE Figueira da Foz

Estreia dia 23 Setembro

Amada por todos, Simone de Oliveira é sinónimo de força, autenticidade e coragem. Artista completa, na sua carreira abraçou mais de sete ofícios, fazendo sempre frente aos desafios que a vida lhe lançou. Sem temer, ou temendo muito, desbravou caminhos e fez-se ouvir numa sociedade adversa às mulheres com voz.
Foi jornalista, locutora de continuidade, apresentadora de concursos e programas de televisão e rádio quando a voz, possante e enérgica, a fintou. Lutou e sobreviveu; regressou às canções que a notabilizaram, aos poetas controversos a cuja obra cedeu a alma, aos palcos que a amavam como cantora e actriz, ao público que aplaudia a Artista e a Mulher.
Aos 79 anos, Simone de Oliveira ainda tem sonhos por concretizar e muitas memórias para partilhar. A partir de temas icónicos como “Desfolhada”, “Sol de Inverno”, “Esta Palavra Saudade” e “Tango Ribeirinho”, Simone vai desvendar-se e, mais uma vez, entregar-se publicamente pelo que acredita, pelo que sente como destino, pelo que a torna um exemplo acarinhado por todos os portugueses.
Mas, SIMONE, O MUSICAL é muito mais que um musical em nome próprio, onde a sua história, recheada de personagens como Varela Silva, Ary dos Santos, Carlos do Carmo e David Mourão Ferreira, é pautada pela música e humor.
Ao lado de FF, José Raposo, Maria João Abreu, Marta Andrino, Pedro Pernas, Ruben Madureira, Salvador Nery, Sissi Martins e Soraia Tavares, Simone tem encontro marcado com todos nós nos Teatro Tivoli BBVA e Coliseu Porto, a partir de Setembro.

Ficha técnica:
Texto e encenação Tiago Torres da Silva Direcção Musical Renato Júnior Cenografia Catarina Amaro Figurinos Dino Alves Desenho de Luz Paulo Sabino Coreografia Paulo Jesus Vocal Coach Carlos Coincas Foto do Cartaz Rui Figueiredo Assistente de Encenação Salvador Nery

Elenco Simone de Oliveira, FF, José Raposo, Maria João Abreu, Marta Andrino, Pedro Pernas, Ruben Madureira, Salvador Nery, Sissi Martins, Soraia Tavares

Banda Helder Godinho (ass. dir. musical/piano), Miguel Amado (baixo/contrabaixo), Ricardo Barriga (guitarra), David Jerónimo (bateria)
Produção UAU

Teatro Tivoli BBVA
Estreia 23 Setembro

5ª a Sábado às 21h30 | Domingos às 16h30
Preço: entre 12,5€ e 27,5€

Coliseu Porto 
10 Novembro às 21h30 e 11 Nov às 16h30
Preço: entre 12€ e 27,50€

CAE Figueira da Foz
17 Nov às 21h
18 Nov às 16h30 e 21h30
Preço: 22,50€ e 17,50€

M/6

#Simoneomusical

JOÃO BAIÃO LEVA CASINO ESTORIL NUMA “VOLTA AO MUNDO EM 80 MINUTOS”

O Salão Preto e Prata do Casino Estoril teve casa cheia na estreia do novo espetáculo de Filipe La Féria, ‘A Volta ao Mundo em 80 Minutos’. No papel de protagonista, João Baião cantou, dançou e conquistou a plateia, que estava repleta de caras conhecidas.

O Salão Preto e Prata do Casino Estoril transformou-se num grande ‘aeroporto’ com centenas de ‘passageiros’ ansiosos por partirem n’A Volta ao Mundo em 80 Minutos com João Baião como guia. E foi com mão de mestre que, ao longo de quase duas horas, o ator levou os ‘turistas’ a Itália, Rússia, África e Brasil, numa viagem de emoções com muita música à mistura.

No final desta aventura, João era um homem feliz por ter conseguido descobrir o mundo inteiro sem sair do palco. “Divertimo-nos muito. É um espetáculo muito especial, é mais um espetáculo da minha vida. É um grande prazer trabalhar com o Filipe La Féria e um privilégio enorme atuar aqui, no Casino Estoril. O coreógrafo e os bailarinos fazem um trabalho extraordinário, tem acrobatas e uma componente multimédia muito bem feita. Depois, tem gente a cantar lindamente”, partilhou o protagonista desta viagem imaginária.
Filipe La Féria também estava visivelmente orgulhoso por ver que este seu novo espetáculo foi um sucesso logo na noite da estreia. “O João Baião está no seu melhor. É um espetáculo muito divertido, que se baseia em A Volta ao Mundo em 80 Dias, do Júlio Verne, mas como sou um rapaz com muito ritmo, fi-lo em 80 minutos! [risos] Dei asas à minha loucura e fiz um espetáculo que poderia estar em Las Vegas”, referiu o encenador à CARAS.

Fonte: Caras

Festival Novas Invasões mostra cultura do Japão em Torres Vedras

O Japão é este ano o país invasor do Festival Novas Invasões, que entre 31 de agosto e 3 de setembro, partindo das invasões francesas levará a Torres Vedras manifestações culturais, história e contemporaneidade.

As incursões militares de tropas francesas sobre o território português, entre 1807 e 1811, são o ponto de partida para o Festival Novas Invasões que durante quatro dias recriam o espírito das guerras peninsulares, abrindo portas à invasão de culturas de vários países.

Torres Vedras, cujas linhas defensoras travaram a invasão das tropas, deixa-se agora invadir por propostas culturais dos países envolvidos no conflito (Portugal, França, Reino Unido e Espanha) mas, sobretudo do Japão, escolhido como país invasor da segunda edição do festival bianual, que arrancou em 2015.

A escolha tem por base o facto de o escritor japonês Kazuo Dan (1912 –1976) se ter radicado em Santa Cruz, praia onde entre 1971 e 1972 se dedicou à poesia e onde em 1992 foi erigido um monumento em sua memória.

No epicentro do festival, apresentado hoje à comunicação social, haverá um mercado do século XVIII, que funciona como um cenário e um palco, “estabelecendo a conexão entre o presente e o passado”, divulgou a organização do evento que, segundo a vereadora da Cultura, Ana Umbelino, “celebra a interculturalidade” e aproxima povos, através de atividades como cinema, dança, exposições, música, novo circo, leituras e recriações históricas.

Igrejas, largos, praças-fortes, cineteatros e sedes das associações culturais integram quase uma vintena de locais onde, nesta segunda edição, o público poderá ouvir Hiroshi Okita ou o Carrilhão LVSITANVS (o maior e mais pesado carrilhão itinerante do mundo, composto por 63 sinos e que pesa aproximadamente 12 toneladas).

O novo circo que chega de Inglaterra e as peças de teatro de Espanha e Portugal são outras das propostas do festival onde será também possível assistir a documentários e ciclos de cinema japonês.

Na dança, o programa destaca Min Tanaka e o novo conceito de “hiperdança”, com apostas nacionais como o “Baile Gaiteiro”, que percorrerá várias ruas da cidade.

Exposições fotográficas, instalações sonoras evocando as invasões francesas ou instalações artísticas com panos brancos e vermelhos nas janelas da cidade são outras das intervenções culturais que espelham a invasão de culturas.

Durante o certame será ainda apresentando “Terra Queimada”, o romance histórico de Eduardo Gomes, dedicado às Invasões Francesas.

Em 2015, na primeira edição, com o Chile como país invasor, o festival atraiu cerca de 15 mil visitantes, número que a organização espera este ano aumentar.

O Festival Novas Invasões é uma organização da Câmara Municipal de Torres Vedras em parceria com várias associações culturais do concelho, cujo conceito tem estado a ser desenvolvido desde 2010, aquando das comemorações do bicentenário das Linhas de Torres, uma estrutura defensiva constituída por 177 fortes e redutos que impediu as tropas francesas de Napoleão Bonaparte de invadirem Lisboa em 1811.

O festival tem periodicidade bianual e, em cada edição, um país ‘invasor’ diferente.

Todos os espetáculos acontecerão ao ar livre, com entradas gratuitas.

Fonte: Sapo24

Simone de Oliveira faz de Simone em musical que estreia em Setembro

Em Setembro chega ao Teatro Tivoli BBVA em Lisboa o espectáculo “Simone, o Musical” sobre a vida da artista Simone de Oliveira. O texto e a encenação são de Tiago Torres da Silva e direcção musical de Renato Júnior. No elenco além de Simone de Oliveira, o musical conta com vários actores e cantores.

Simone de Oliveira completa em 2018, 80 anos. A anteceder este aniversário subirá ao palco do Teatro Tivoli BBVA, em Lisboa para se representar a si própria. A ideia de criar um musical que lhe é dedicado nasceu da cabeça de Tiago Torres da Silva. O produtor e letrista diz que considera “extraordinário” ter um “musical biográfico que ainda tem a biografada em cena”. Para o autor, a participação de Simone “dá uma verdade muito grande ao espectáculo”. Com um sorriso Tiago Torres da Silva conclui que “se não fosse mesmo assim, a própria diria ‘não é nada disto!’”.

Sentada ao seu lado, Simone de Oliveira diz que sim com a cabeça. A cantora explica contudo que embora o espectáculo vá contar a sua vida, deixará de fora a dimensão mais familiar. “O lado da mãe, da filha e da avó” não estão representados. Simone assegura mesmo que no musical “não entra ninguém da família”. O que estará em cena é sobre a sua vida pública quer no palco, quer fora dele. “Já se disse tudo sobre mim” afirma Simone de Oliveira que ironiza “até que morri” e recorda um dia em que “estava a sair de uma aula de voz” e lhe telefonaram a dizer que tinha morrido. A notícia estava nas redes sociais e Simone respondeu ao telefone, no seu melhor estilo, “eu não, eu estou aqui na avenida Pedro Alvares Cabral!”.

Em “Simone, o Musical” que estreia em Lisboa a 23 de Setembro vão estar em palco além da cantora, actores como José Raposo ou Maria João Abreu e cantores como FF, Sissi Martins, Ruben Madureira entre outros. Os figurinos estão a cargo do estilista Dino Alves. Simone sente-se “muito grata” e lembra que “nunca” foi “vestida por ninguém” e que chegou mesmo a ser considerada por Vera Lagoa como “a mulher mais mal vestida do país”. “Nunca liguei à moda” repete Simone de Oliveira que conclui voltando-se para Dino Alves dizendo: “sei do seu talento. Eu sou assim, este mulherão” que o estilista irá agora vestir.

O espectáculo produzido pela UAU terá cenografia de Catarina Amaro. Nas palavras do autor do texto e da encenação, Tiago Torres da Silva trata-se de uma “peça muito tocante por um lado e muito divertida por outro”. “A Simone sempre foi isso” explica o autor que acrescenta: “mesmo nas adversidades sempre soube tirar uma gargalhada”. No espectáculo estão “a Simone forte e corajosa, mas também está a mulher frágil e que fez sempre da queda uma energia que a impulsionava para cima”.

A direcção musical está a cargo de Renato Júnior. Simone no tom que a caracteriza agradece e brinca: “eu deveria ter aprendido qualquer coisa de música! Tenho uma grande intuição, mas não sei nada! Não sei se é Dó, se é Lá ou Fá”. Na conferência de imprensa de apresentação do musical, Simone de Oliveira revelou qual será a sua primeira deixa em palco. “Das coisas que mais me agradou neste espectáculo é que eu entro em Simone e digo ‘O meu reino por um cigarro’”. É de resto uma fotografia em contraluz de Simone de Oliveira com um cigarro na mão que faz o cartaz deste musical.

O espectáculo biográfico está a deixar Simone nervosa. “Tenho medo” admite, mas diz que está “consciente que não é um espectáculo fácil”. Para a artista que eternizou o tema “Desfolhada” este não é só um musical em que se “vão fazer umas cantiguinhas”. Dias depois de ter sido condecorada pelo parlamento Europeu, Simone quer dizer que tem “muito respeito por todos os que se envolveram no espectáculo”. A questão do respeito pelos colegas de trabalho diz que aprendeu com a “senhora dona Laura Alves”. Mas interpelada pelo produtor por não gostar que a tratem por “senhora dona Simone”, a cantora afirma com garra: “Detesto que me tratem por senhora dona, porque não dá com Simone. Eu sou Simone e canto cantigas, só! E serei isto até ao fim dos meus dias!”.

Simone de Oliveira igual a si própria e que se dará a conhecer melhor num musical que estreia a 23 de Setembro no Teatro Tivoli BBVA, em Lisboa. Os bilhetes já estão à venda. O espectáculo fará também uma temporada no Coliseu do Porto a partir de 10 de Novembro.

Fonte: Maria João Costa
rr.sapo.pt

Amália de Filipe La Féria Comemora 100 representações

100ª Representação do Musical Amália de Filipe La Féria

O Amália – O Musical de Filipe La Féria continua em enorme sucesso no Teatro Politeama!Ontem na comemoração da 100ª Representação desta nova versão do maior sucesso do encenador português, a sala encheu-se de conhecidos e anónimos para aplaudir de pé este fabuloso musical.A Não Perder!!!

Geplaatst door Coffee News Oeste – Mafra e Torres Vedras op zaterdag 10 juni 2017

O Amália – O Musical de Filipe La Féria continua em enorme sucesso no Teatro Politeama

Ontem na comemoração da 100ª Representação desta nova versão do maior sucesso do encenador português, a sala encheu-se de conhecidos e anonimos para aplaudir de pé este fabuloso musical.

A Não Perder!!!

 

Maria de Sá à Conquista de Los Angeles

Aos quatro anos, Maria de Sá deu os primeiros passos nas artes com dança e música e cedo desenvolveu o gosto pelas artes de palco.

Em junho de 2010 ingressa na Tring Park School for the Performing Arts em Londres e a partir daí  descobre um mundo de sonho.

Maria revela-nos que este sonho não seria possível se não tivesse o constante apoio dos pais, moral e financeiro e uma bolsa de mérito oferecida pela escola.

Mais tarde algumas universidades americanas ofereciam audições em Londres para dar oportunidades a alunos estrangeiros de se candidatarem sem terem que se descolar aos Estados Unidos.

Depois, de mais uma dezena de audições, propostas e rejeições, Maria escolheu uma das várias universidades em Los Angeles que lhe ofereceram um lugar. Admite que enquanto indecisa entre duas escolas americanas, American Academy of Dramatic Arts e New York Film Academy, escolheu a que maior bolsa financeira lhe ofereceu.

Assim, em setembro de 2013, com duas malas e uma viagem de ida para Los Angeles, Maria embarcou numa nova etapa.

Atualmente, encontra-se a dar os primeiros passos na indústria de cinema americana, diz que o mais importante é estar sempre a trabalhar e a realizar novos projetos. Em menos de seis meses, na indústria, já contracenou em dois anúncios, e várias curtas. Confessa ter consciência da enorme competição, mas isso não a assusta, apenas alimenta a sua  motivação e relembra-a da maratona tão esperada que finalmente começou a percorrer.

Visite o seu site www.mariadesa.com

ÚLTIMA SEMANA DE “PARQUE À VISTA”!

Alguns dos melhores momentos da Revista à Portuguesa “Parque à Vista” que conquistaram todo o público e a tornaram um enorme sucesso!

Só tem até dia 4 de Junho para ver ou rever este surpreendente espetáculo!

Venha despedir-se connosco! Reserve já os seus bilhetes!

HORÁRIOS DO ESPECTÁCULO:
De Quinta-Feira a Domingo às 21:30H
Sábado e Domingo também às 16:30H

RESERVAS:
Geral – 213 475 454
Bilheteira – 213 461 740
Email – teatromv@sapo.pt

Efectue a sua compra na nossa Bilheteira, nos diversos Postos de Venda espalhados por todo o País ou On-line através do site da BOL: https://teatromariavitoria.bol.pt

“Olívia e Eugénio” de Filipe La Féria

Finalmente o Parque Mayer vai abrir novas portas com o Teatro Raul Solnado. O Edifício do Capitólio foi totalmente remodelado pela Câmara Municipal de Lisboa e Quinta-Feira dia 1 de Junho às 21h30 abrirá as portas ao público. A Peça de Herbert Morote “Olívia e Eugénio” que tem como protagonista Rita Ribeiroe dois actores com Síndrome de Down, Tomás de Almeida e Nuno Rodrigues. Este espectáculo tem percorrido Portugal com o maior êxito e vai inaugurar no Teatro Raul Solnado no Parque Mayer. Raul Solnado foi quem transformou o velho Cinema Capitólio em Teatro com a Revista “A Vida é Bela” sendo aí actor e pela primeira vez empresário em 1960, associado a Carlos Coelho e Humberto Madeira. Os três actores aventuraram-se a dar ao Parque Mayer um novo Teatro. A Câmara Municipal de Lisboa em homenagem à memória de Raul Solnado, pôs o nome do grande comediante no novo espaço do Parque Mayer.

Dia 1 de Junho Lisboa terá mais um novo Teatro!

         Em “Olívia & Eugénio”, mãe e filho enfrentam uma situação extrema onde se questionam valores que surgem em tempo de crise. Olívia recorda o seu passado fazendo um sincero ajuste de contas com todos os que passaram pela sua vida. Sobre eles, Olívia interroga-se se são mais normais que o seu filho Eugénio, um jovem com Síndrome de Down.

Afinal, quem é normal?

Olívia, que sofre de uma doença terminal, vê-se obrigada a tomar a maior decisão da sua vida.

 

BILHETES:

Compre já o seu bilhete: https://ticketline.sapo.pt/

Uma Coprodução: Produções Filipe La Féria e CLAP

La Féria estreia “A Volta ao Mundo em 80 minutos”

O sobejamente conhecido ator João Baião protagoniza o novo musical de Filipe La Féria!

Baseado no livro de Julio Verne, o novo espectáculo de Filipe La Féria conta as aventuras à volta do mundo de Philleas Fogg (João Baião) e do seu mordomo Passpartout (Filipe de Albuquerque).

Neste espectáculo onde a música e a cor são raínhas, mais que teatro musical, Filipe La Féria aposta cada vez mais num grande espectáculo multimédia, com espantosos videos de Zara Pinto.

Aos protagonistas junta-se um leque absolutamente fantástico de atores, cantores, bailarinos e acrobatas, destacando as vozes e presenças fantásticas de Dora, Paula Sá, Ricardo Soler, Catarina Pereira, Carina Leitão e Samuel de Albuquerque.

Não podendo esquecer a participação especial de dois “monstros” do humor português: Herman José e Fernando Mendes.

O espectáculo vive das grandes musicas interpretadas por grandes vozes, excecional guarda roupa e coreografias, é sem dúvida um belíssimo espectáculo que promete fazer as delicias de quem se deslocar ao Salão Preto e Prata do Casino Estoril.

A Não Perder!

 

1 2